Mãe acusa hospital particular de negligência médica; unidade diz que todos os procedimentos foram feitos de acordo com os protocolos - Rádio Liberdade FM Online

Mãe acusa hospital particular de negligência médica; unidade diz que todos os procedimentos foram feitos de acordo com os protocolos

A mãe da pequena Maria Isabel de apenas seis meses de vida, Ana Beatriz Oliveira, está acusando uma unidade hospitalar da rede privada de Feira de Santana, por negligência médica, no atendimento prestado à filha.

Na quinta-feira, 18 de novembro, Ana Beatriz, levou a pequena Maria Isabel até à unidade hospitalar, pois a filha estava apresentando quadro de febre e com dificuldades para respirar.

Ao Acorda Cidade, Ana Beatriz informou que foi orientada a ficar em uma sala de isolamento, pois a equipe suspeitava de Covid-19.

“Quando chegamos no hospital, fomos diretamente para a sala de isolamento com suspeita de Covid-19, segundo o hospital, seria melhor, pois o atendimento seria mais rápido, porém eu ainda esperei por um bom tempo até ser atendida, já que o posto de enfermagem estava cheio no dia. O médico que atendeu explicou que não estava ouvindo nada de diferente no pulmão e que iria passar um raio-x para o tórax. Só que minha filha já não estava muito bem ali, e mandaram ir para casa. Com menos de 12 horas, retornamos para a unidade porque Maria não estava bem, e por volta das 23h eu retornei para casa, pois a médica explicou que era um exagero por minha parte, que eu não tinha experiência”, explicou.

Ainda de acordo com Ana Beatriz Oliveira, já na sexta-feira (19), quando estava se preparando para retornar até à unidade hospitalar, a filha Maria Isabel começou a ter dificuldades para respirar, foi quando solicitou ajuda no próprio bairro, e encaminhou a filha para a policlínica do Parque Ipê.

“Minha mãe estava com Maria no momento e começou a gritar dizendo que ela não estava respirando, fizemos os primeiros socorros, massagens cardíacas, respiração boca a boca, a Samu não compareceu e quando sair correndo no meio da rua, consegui ajuda, e um carro nos levou para a Policlínica do Parque Ipê. Os médicos levaram ela para a sala de reanimação, fizeram de tudo, entubaram, deram o choque nela, mas infelizmente Maria não voltou, mas se os médicos tivessem me ouvido, ela estaria internada. Só as mães conhecem verdadeiramente os seus filhos, mas os médicos disseram que ela estava bem e nós confiamos”, declarou.

Ana Beatriz Oliveira, informou à reportagem do Acorda Cidade, que está aguardando o laudo do Instituto Médico Legal (IML), para comprovar que o hospital foi negligente com a filha.

A direção da unidade hospitalar, emitiu uma nota de esclarecimento, informando que conforme protocolo da Sociedade Brasileira de Pediatria, e por não preencher os critérios de internamento, a paciente lactente foi encaminhada para o tratamento domiciliar, com antibioticoterapia e nebulização, orientada a retornar em até 48h para nova reavaliação.

Ainda segundo a nota de esclarecimento, o prontuário médico já foi disponibilizado pelo hospital para a família e médico assistente da criança.

Veja a nota na íntegra:

Redação: Rádio Sim FM Online | 26/11/2021