Presidente promove assédio moral contra jornalistas, diz associação - Rádio Liberdade FM Online

Presidente promove assédio moral contra jornalistas, diz associação

[Presidente promove assédio moral contra jornalistas, diz associação ]

A declaração do presidente Jair Bolsonaro a um repórter ontem (20), ao dizer que ele tinha uma “cara de homossexual terrível”, provocou reação de entidades que representam jornalistas.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) defendeu, em nota, que na ocasião o presidente “assediou moralmente os profissionais, recusou-se a responder perguntas e disse que a imprensa deveria se calar”.

Inicialmente, o presidente foi questionado sobre a mudança da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. O repórter recebeu a resposta do presidente: “Você pretende se casar comigo um dia? (…) Responde. Você não gosta de louro de olhos azuis?”. Conforme a Abraji, diante do silêncio do jornalista, Bolsonaro “insistiu no assédio moral”: “Não seja preconceituoso. Vou te processar por homofobia. Você é homofóbico”.

Outro jornalista então perguntou ao presidente a respeito das investigações sobre seu filho, o deputado federal Flávio Bolsonaro. Foi quando também recebeu resposta agressiva e de tom sexista: “Você tem uma cara de homossexual terrível e nem por isso eu te acuso de ser homossexual”.

“Foram mais de uma dezena de ocasiões ao longo do primeiro ano de mandato em que o presidente teve atitude semelhante. Os apoiadores do presidente que também o aguardam na porta do Alvorada costumam celebrar os ataques, acentuando o clima de intimidação contra os repórteres. Embora desta vez os alvos tenham sido homens, as jornalistas são as mais visadas pelo presidente na hora de atacar os profissionais. Segundo relatos de repórteres, Bolsonaro visa determinadas mulheres para constranger frequentemente, sempre que as vê ou é abordado por elas”, afirma a nota da Abraji.

Ainda segundo a associação, “atacar jornalistas como forma de evitar prestar informações de interesse público e receber aplausos de apoiadores é ação incompatível com o respeito ao trabalho da imprensa, fundamental para a democracia”.

[Por: R. Amaral | Fonte: Metro1 | 21/12/2019]