Corte do MEC de R$ 30 milhões afeta assistência estudantil na Ufba - Rádio Liberdade FM Online

Corte do MEC de R$ 30 milhões afeta assistência estudantil na Ufba

O governo federal reduziu o orçamento do Ministério da Educação (MEC) destinado às universidades públicas federais em 2021. Esse corte dos recursos afeta diretamente o funcionamento da Universidade Federal da Bahia (Ufba), principalmente nas assistências estudantis. A instituição considera a pandemia como um agravante, momento onde há a necessidade de um auxílio mais amplo.

Segundo a Ufba, a dotação orçamentária na LOA disponibilizada para as despesas da universidade em 2021 é de R$132,81 milhões. Em comparação com o valor recebido em 2020, houve um corte de 18,7%, correspondente a R$ 30,49 milhões. Os recursos atuais da Ufba são equivalentes ao orçamento de 2010, informou a instituição. Na época, foram destinados R$ 133,88 milhões para o custeio das atividades. “O número de alunos era menor que hoje, assim como todas as tarifas de água, luz, etc, o que dá uma ideia da gravidade da situação”, explica a assessoria.

A universidade afirma que vem enfrentando cortes orçamentários nos últimos anos, por isso se antecipou e vem adotando medidas de redução de consumo e readequação de contratos de serviços essenciais para evitar o fechamento. As economias também precisaram ser realizadas no investimento em assistência estudantil. Houve um corte de 20% em 2020. A política alcança 28.561 estudantes anualmente e, por conta desse grande contingente, o investimento por aluno está 57% abaixo da média nacional: R$ 1.291,46/ano. De acordo com a Ufba, a redução garante que benefícios relacionados a itens essenciais (moradia, alimentação e transporte) sejam mantidos aos 3.800 estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Além disso, a partir do mês de maio, a pró-reitoria de Assistência Estudantil e Ações Afirmativas (Proae) determinou, como solução emergencial, a redução das bolsas acadêmicas, com limite máximo de R$ 200/mês. Também decidiu pela redução do auxílio de apoio à inclusão digital e a manutenção do auxílio-transporte apenas para os estudantes que recebam somente esse benefício, além da suspensão, por tempo indeterminado, da concessão de auxílio financeiro para saúde e aquisição de material didático.

Para reverter a situação, a Ufba fará, no dia 18 de maio, o Ato Público “Educação, sim! Barbárie, não!”, contra o corte no orçamento e pelos investimentos do governo federal. A iniciativa alega “urgência” pela “recomposição orçamentária e investimentos que garantam o funcionamento de funções estatais relativas a políticas públicas, à educação e à saúde, à proteção da vida, aos direitos básicos de nosso povo e ao meio ambiente”.

Confira, neste link, a entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metropole, com o reitor da Ufba, João Carlos Salles, e o vice-reitor, Paulo Miguez, sobre o ato.

Por: R. Amaral/Márcia Chaves | Fonte: Metro1 | 12/05/2021